Cinco anos

No dia em que fiz 35 anos percebi que faltam apenas cinco para os 40.

Crise? Acho que não, minhas crises não são em relação à idade e sim em relação ao que construí e aprendi até hoje. A construção de patrimônio material não existe, mas sem dúvida a construção interna e o aprendizado estão indo de vento em popa. Já me perguntei algumas vezes se não corro contra a maré, tendo em vista que boa parte das amigas de longa data são casadas, com filhos sendo criados ou em produção, formadas e com todas as titulações possíveis. E certamente chegarão aos 40 realizadas – ou não.

Mas o que é a maré?! É fazer exatamente o que a sociedade espera de nós?!

Mas não fomos nós, lá nos nossos 20 e poucos anos, as modernas que defendemos os direitos iguais, independência financeira e psicológica? Nesse ponto sem dúvida eu represento e muito a classe.

Não acho certo ou errado ser casada, ter filhos e tudo mais, mas por favor não me olhe com cara de desdém quando eu digo que tenho 35, sou solteira, não me formei, não tenho filhos e nem sei se os terei. Se isso acontecer, irei lhe contar tudo o que já vi e fiz, e ainda faço.

Então, sobre meus 40 anos, espero e trabalho para que seja uma década de muitas alegrias, quem sabe um amor, com ótimas viagens, com um dinheiro no bolso que não faz mal a ninguém. Desejo, sim, que eu nunca perca a curiosidade pelo meu aprendizado interior, que eu continue me divertindo com as coisas boas e simples da vida. E que todos errem minha idade para uns cinco anos a menos.

000014 by Viljar Sepp on Flickr

Sua opinião é de quinta...