Como não se apaixonar?

Esta é uma questão complicada… O que fazer quando não podemos nos apaixonar por determinada pessoa? Como seria bom se existisse uma fórmula, que pudéssemos decidir: por este eu me apaixono, por este não me apaixono… Estou aqui para provar que a tal fórmula realmente não existe, mas que é possível simplesmente optarmos por não nos apaixonar (será?).

BSKSe você está se perguntando “mas por que alguém não gostaria de se apaixonar?” é porque você nunca se apaixonou antes, só teve relações bem-sucedidas ou é masoquista. “Mas a paixão é tão boa!” É… e não é. Quem nunca pensou que se pudesse escolher, jamais teria se apaixonado por fulano? Mas o que quero dizer é que não importa o porquê do não querermos nos apaixonar: precisamos conseguir pensar racionalmente e evitar este mal, nos casos em que é possível prever.

Eu, por exemplo, estou disposta a fazer o teste: estou tendo um lance com um cara lindo, bonito mesmo, e bom de cama… e querido… e todo… Ahrãm! Este é o primeiro passo, eu creio, para evitar uma paixão: para que ficar lembrando que a pessoa é isto e aquilo o tempo todo? Temos que lembrar o tempo todo, sim, o que esta pessoa é de verdade, seja lá qual for o problema: casado, gay, viciado, melhor amigo do ex-namorado, Don Juan, esquizofrênico ou qualquer outra coisa que venha a nos dar dor de cabeça amanhã! Identifique o que te faz querer ter este homem longe dos teus pensamentos e faca na bota! Com ele, só vale sexo – e, dependendo da gravidade do caso, nem isto!

Seguindo em frente: evite as falsas expectativas (sim, no fundo a maioria das mulheres cultivam um desejo de que um homem se recupere ou deixe tudo para trás para ficar com elas). E, muitas vezes, nem a culpa neles podemos jogar por isto: nós somos as únicas culpadas pelas próprias perspectivas. Quando embestamos, fechamos os olhos para a realidade e deixamos passar em branco coisas que jamais deixaríamos em outra situação. O final é quase sempre trágico. Então, por que insistir, quando já sabemos que não vai dar certo? Hein?

Mas como não se apaixonar, afinal? Há três semanas, esta era a pergunta que mais me vinha à mente. Uma preocupação constante. Sabe o que aconteceu? Nada. Pelo menos nestes últimos 20 dias eu não me apaixonei. E sabe o que eu fiz para conseguir este feito? Tchanananam… se a fórmula não existe, pelo menos há uma receitinha básica: me ocupei com outras questões! Praticamente não tive tempo para pensar e repensar naquilo. Creio que não existe saída melhor: quando a coisa está para acontecer, invente uma viagem, uma reestruturação no trabalho, uma recauchutada no visual… Se envolva com a organização de uma festa, reforme a casa ou marque um encontro com outra pessoa – dependendo do bolso e da pilha de cada uma, né? Não tem erro. Quer tentar? Só aviso que esta é uma solução paliativa. Como o final desta história ainda está por vir, não garanto que depois do próximo encontro eu consiga sustentar minha razão acima da emoção. Vamos ver o que acontece! Depois eu conto para vocês.

 

Imagem: BSK/Stock.xchng

4 Responses

  • São tantos os motivos para não se apaixonar… além desses aí, ele pode ser muito novo ou muito velho, pode morar em outra cidade, não gostar de trabalho… Mesmo assim, a gente finge que não vê ou que vai melhorar.
    A favor da paixão, só a nossa paixão por ela.

  • Agora contando para vocês o final desta história: funcionou, não me apaixonei. Só não estou tão radiante porque para não cair de amores pelo x, além de viajar e de me dedicar a mudanças no apartamento, acabei me distraindo demais com o y, que também se enquadra em uma das características acima… Ô azar o meu, hein?

  • Engraçado…mas se vc encontra, em um menino 10 anos mais novo que vc, quase todas as qualidades que vocem sempre procuoru num homem…como nao criar expectativas??? a unica qualidade que ele nao tinha, era fidelidade… mas de resto, generoso, carinhoso, meigo, doce, companheiro, romantico, bom de cama… nao tive a mesma sorte e olha que me ocupei bem, mudei de pais!!! mais ainda penso nele, e sempre…

Sua opinião é de quinta...